• Kau Bonnett

Não tem como julgar o amor pela idade

Cheguei em um restaurante e inconscientemente escolhi uma mesa ao lado de um casal de idosos, embalada por essa percepção que só tive quando sentei, despertou-me a curiosidade de saber como é envelhecer ao lado de alguém.


Enquanto dividiam a mesa e compartilhavam a companhia, eu sozinha tentava entender o que acontecia.

A senhora serviu-se primeiro, sentou e começou comer sem esperar. Quando o senhor terminava seu prato salgado, a senhora chegava com a sobremesa e o tempo todo o silêncio habitou na mesa. Eles se olhavam às vezes, mas não proferiam uma só palavra. Ela terminou de comer, ele não optou pela sobremesa.

Levantaram, ela pega seu celular e põe o fone de ouvido, da um sorriso pra mim e de relance vejo que ela está ouvindo Elton John. Será que ela aprendeu a gostar com o tempo? Ou é de sua juventude?

Ela sai pela porta, ele vai até o caixa e me parece ser totalmente contrário à tecnologias, tira dinheiro da carteira e paga a conta.

De aparência ambos pareciam ter mais de 75 anos, mas eu já vi casais de 20 com as mesmas atitudes.


Não tem como julgar o amor pela idade, muito menos pelo tempo.


Com gratidão,

Kau Bonnett.

"Vá fundo dentro de si mesmo, pois há uma fonte de benevolência preparada para fluir se você continuar."

- Marco Aurélio