Uma carta ao universo

Atualizado: 25 de Fev de 2020


   Procura-se um amor que goste de manter o silêncio no olhar enquanto flerta com a minha boca. Alguém que decifre as minhas pintas e pontilhe as minhas sardas. Que goste de se enrolar nos lençóis enquanto a hora passa, nos meus cabelos enquanto o amor acontece e no abraço enquanto me conforta. Um amor forte, independente, decidido, paciente e carinhoso. Alguém que discuta rindo, que saiba pedir desculpas, que aceite o erro e esteja disposto a melhorar. Procura-se alguém para fazer o bem por aí, colocar sorrisos aleatórios em pessoas desconhecidas. Alguém para viver a intensidade dessa vida. Pular de paraquedas, viajar sem destino, conhecer novas religiões e perder-se no deserto. Procura-se alguém ingênuo para confiar e esperto para saber até onde. Alguém que apareça de surpresa, que goste de perder um tempo no gramado do parque, olhando para o céu e imaginando desenhos. Procura-se alguém sério, que entenda pelo menos um pouco de exatas, para as economias de casa e muito de humanas para o humor prevalecer. Alguém que me ajude a não desistir dos dias difíceis no trabalho e do cansaço constante. 


Por fim, deixa-se de procurar alguém e entrega-se ao universo todos os desejos. Ele sabe, ele cuida e ele atende na hora certa, e na maioria das vezes no momento errado. 

Para sempre crer. 


Com gratidão,

Kau Bonnett.