Um esboço no escuro



Andava pela casa agora vazia, não tinha mais o mesmo aroma. 

Aos poucos tudo foi envelhecendo, as marcas tomaram conta das paredes brancas e os meus passos se tornaram lentos. 

Ela esteve ali, mas agora não mais.

Agora não mais em meu olhar, nem mais em meu sorriso, muito menos na doce e exagerada risada. Em nada mais se faz presente. 

Eu ainda a quero aqui, felicidade. Quero que a mesma volte a habitar os meus dias.


Um esboço no escuro, de um cômodo incomodo, que eu não quero mais estar. 


Com Gratidão,

Kau Bonnett.