Tínhamos um celular no lugar de um coração

Atualizado: Fev 25



   Tínhamos um celular no lugar de um coração. Ele filmava e fotografava, fazia o papel de guardar as lembranças. 

Nos dava acesso virtual e amores reais. 

Era possível ele bater lento, mas jamais parar, pois era recarregável. 

Ele não era capaz de sentir, mas era capaz de medir, então, por conta dos números, ele sabia quem tirar ou colocar em nossa vida. 


Tínhamos um celular no lugar de um coração e isso foi implantado, foi cirurgia de rebanho que chegou com um novo ano. Tínhamos... ou melhor, eu tinha. Foi de repente, e foi uma resposta ao momento em que me vi perdida nas fotos e vídeos. Comecei sentir muito, como sentia antes de ter um celular aqui dentro, eu senti, e de dentro para fora foi uma evolução. 

Tirei-o da tomada com as próprias mãos, resetei antes da bateria terminar e quando ela terminou, um buraco no meu peito ela deixou como prova. 


Com gratidão,

Kau Bonnett. 

"Vá fundo dentro de si mesmo, pois há uma fonte de benevolência preparada para fluir se você continuar."

- Marco Aurélio