Leia se estiver bem


Hoje eu não queria ter saído da minha cama, mas uma promessa mental positiva forçou-me.

Os dias têm sido difíceis, mas tudo bem, há dificuldade em todos os lugares.

O dia foi acontecendo e para ser bem sincera, agora descrevendo-o, eu não consigo acreditar nem entender o que eu vivi hoje. Foi tudo tão automático que só agora me dei conta de quem nem no agora eu estava.


Esperei pela noite, pra te ver, poder ter o teu abraço apertado e não mais me sentir sozinha. Conseguir conversar com você sem culpa, te ouvir, te entender até que tudo ficasse novamente leve entre nós, mas não ocorreu.

E agora escrevendo eu percebo que, a minha mente está dando tanta importância a este momento, que não há outro lugar para pensar. Pela primeira vez no dia de hoje eu estou no modo manual, sem acreditar no que aconteceu, mas no manual, chorando e escrevendo para o mundo. Mas como eu ia dizendo, dias difíceis estão sempre presentes em minha vida e pela primeira, segunda ou terceira vez, eu queria poder dividi-los com você e saber dos seus, sem deixar nas entrelinhas. Não deu. Te viver ficou no espaço e enquanto as suas palavras de despedidas me afastavam, as tuas mãos provavam o contrário, minha mente ficava cada vez mais confusa. Logo você, que sempre foi tão boa com suas atitudes, que me mostrou amor desde o começo, hoje mostrou qualquer coisa que eu ainda não entendi. Para ser sincera nem sei se vou entender, parte de mim quer ser racional ao extremo e dizer: aceite o mais rápido possível e siga. Outra parte, a mais intensa (o que eu realmente sou) acredita que o seu “bom dia amor” vai chegar amanhã, entre as 8 e 9 da manhã e que à noite você bate aqui em casa, pra sorrir me olhando e pra sambar sentindo a vida.

Quase duas da manhã. Foi longa a nossa conversa e eu levei quase duas horas para aceitar o seu adeus. Mais um pra minha coleção.

Você conhece o meu drama e sabe que eu não o faço por mal, mas eu estou exausta. Me perdoa por ser tão egoísta e pensar só no quanto eu quero desistir de tudo, menos de nós. Me perdoa por não facilitar a sua desistência.

E enfim, pra geral que estiver lendo: a vida é boa e tem suas dificuldades. Eu já pensei várias vezes em desistir dela, mas ela sempre me convence a ficar e eu não seria tão egoista assim. A intensidade machuca, mas ela nos faz viver de uma maneira linda, a gente vê tudo com muita vida e depois com muita dor também, afinal, existe a polaridade. Me perdoem por não estar sempre bem, por não escrever bem, principalmente o texto de hoje. E por fim, não se cobrem tanto e não julguem vidas alheias pelo que vocês ouvem ou conhecem através de uma tela.

Encontrem forças e continuem, toda parte difícil tem a parte fácil e esse é o ciclo.


A gente se encontra.


Com gratidão,

Kau Bonnett.

"Vá fundo dentro de si mesmo, pois há uma fonte de benevolência preparada para fluir se você continuar."

- Marco Aurélio