Para alguém que eu ainda não conheço

Atualizado: 4 de out. de 2021



Ei,

Não sei muito bem como começar uma carta dessas e nem sei ao certo se deveria expor a mesma, mas disseram que seria um bom exercício e que principalmente poderia inspirar outras pessoas. Então, que seja.


Hoje é o terceiro dia de calor e estamos no inverno. É Agosto e geralmente é um mês ruim para mim.

Estou partindo agora de um momento delicado e sensível, mas garanto que o agora não será o mesmo de quando você chegar. Ainda tenho algumas questões para alinhar por aqui, algumas dúvidas, alguns jeitos de lidar com o outro, mas estarei melhor em breve.

E então, você irá chegar.

Eu só espero estar consciente o suficiente para te perceber, pois sei que você é alguém discreto, traz isso em sua natureza. Você observa a vida e faz movimentos sutis, eu sei que há paciência e calma nas suas ações. E você é isso, atitude, você não é alguém reativo.

Eu não sei se poderia, mas já imagino a gente conversando sobre tudo, mas tudo mesmo. Indo madrugada adentro questionando a humanidade, ou enquanto dirigimos por estradas desertas devaneando sobre como esse mundo é gigante. Será que conseguiremos segurar as nossas piadas ruins durante essas conversas profundas? Ou soltaremos sempre que elas vierem e então retornaremos ao assunto com seriedade? Espero que a segunda opção, pois te imagino com um senso de humor único e leve.


Preciso te contar que eu tenho os meus altos e baixos, acredito que isso venha das questões que sempre levanto sobre a vida no geral, mas espero que você não ligue pra isso. Terão dias em que vou precisar estar sozinha, completamente sozinha e não vai importar o lugar. Eu ficarei imensamente feliz se você souber respeitar esse momento meu e também se enquanto juntos, você conseguir ficar confortável com silêncios momentâneos. Eu estou bem, só quero ficar em silêncio um pouco.


Seria muita expectativa minha que soubéssemos nos comunicar bem e muito? Eu vou querer te conhecer e saber de toda a sua história, da sua infância, dos teus sonhos, medos, manias, eu realmente vou me interessar pelas tuas entrelinhas. Então, tomara que consigamos conversar sem criar atritos, que saibamos escutar um ao outro sem fazer análises precipitadas e sem julgamentos. Que todas as conversas aconteçam com um olhar de compreensão e terminem com um abraço e um beijo. E que saibamos acima de tudo, sempre expor os nossos sentimentos um ao outro.


Na minha imaginação você é alguém extremamente apaixonado pela natureza no geral e gosta muito do mar. É alguém que se emociona com a aurora ou com o ocaso. É alguém que se interessa pelos ensinamentos da vida, alguém que também passa por altos e baixos, mas que sabe pedir e aceitar ajuda. Não há maldade em você e a sua sensibilidade me encanta.

A simplicidade vai nos guiar sempre, porque fizemos questão da mesma, em tudo.

Bom, até que pra quem não sabia muito quem queria, acho que estou viajando demais em te imaginar assim. Seria muito perfeito se você existisse, mas se existir, eu espero estar consciente o suficiente para te perceber e receber. E assim poderemos sair por aí, viajando, encontrando amigos, recebendo eles em casa, praticando exercícios físicos, nos alimentando saudavelmente, fazendo nhoque e bebendo vinho em uma sexta-feira, dançando músicas bobas, rindo muito de coisas idiotas, nos paquerando, trocando olhares profundos, nos devorando, compartilhando as nossas histórias e um tanto mais de coisas que faremos. Mas principalmente construindo com paciência, respeito, amor e lealdade, a nossa história juntos. Até onde consigamos ir.


Talvez você realmente exista, do jeitinho que eu te desenhei. Talvez eu tenha exagerado. Talvez você chegue um pouco diferente e vá mudando aos poucos, assim como eu. Talvez você já tenha passado pela minha vida e volte. Talvez já esteja por aqui.

Vou deixar todas essas dúvidas e se for pra ser, que assim seja.

Com amor,

Kauany Bonnett.