• Kau Bonnett

Os dias para serem vividos


"E aí, está feliz?"

Se eu estou feliz? Eu tenho me forçado a estar! Essa não só é a minha resposta como é o que realmente tenho tentado, com todas as minhas forças.

Nos dias ruins (e sim eu tenho vários deles), tenho lembrado de momentos bons. Nos dias ruins, me forço a imaginar dias bons, faço planos, viajo sem sair de onde estou e de repente, volto à essência de tudo. Acredito que os dias ruins funcionam como um tapete que você tropeça, cai e acorda, percebendo então que estava correndo demais e deixou para trás a sua essência. Levanta, respira, refaz os dias e da a mão à essência novamente. Você lembra agora do que a sua alma necessita, lembra que você é amor e que tudo bem, por agora, não poder doa-lo a quem gostaria. Por agora você precisa leva-lo por ai, pra quem precisa.


Lembre-se que a estrada é longa e que existem muitos tapetes sobre ela, mas você não precisa tropeçar para ver a tua essência, para lembrar que "estar" é melhor do que "ser". Estar feliz, não mais ser, é não esperar mais nada de ninguém a não ser de você mesmo. É não se pressionar, pois não precisa ser feliz o tempo todo. Estar feliz é ampliar o sentido das pequenas coisas, é fazer parte da vida de alguém que você admira, que você olha com amor.

Estar feliz é contar uma história, sabendo que essa história, não é só tua. Estar feliz é conseguir colocar palavra após palavra, sabendo que pode confundir quem lê, mas também pode confortar quem sente o mesmo, ou parecido. Estar feliz é se forçar a estar, e estar sem se forçar.


Os dias para serem vividos e o ser para ser sentido.


Com Gratidão, 

Kau Bonnett. 

"Vá fundo dentro de si mesmo, pois há uma fonte de benevolência preparada para fluir se você continuar."

- Marco Aurélio