Referência de amor


A gente tentou, né?

Era como podíamos, com o ser que éramos, no momento em que nos coube o encontro.

Eu gosto de voltar para nós depois de quase dois anos longe e saber que tentamos. Gosto de ainda lembrar o quanto você me destinou amor, do seu jeito, com as suas palavras, mas foi amor de verdade. Você sempre insistia para que eu visse um pouco do tanto de vida que você via nas coisas, mas só hoje eu consigo ver.


Você é a minha referência de amor. Sempre que alguém me perguntar quem eu mais amei e quem mais me amou, vou lembrar de você e do tanto de vida que vivi contigo, porque só hoje vejo esse tanto. Porque só hoje vejo que ninguém mais me olhou daquele jeito, de deixar os olhos se fitarem por um longo tempo e sorrir de lado com um leve soltar de ar. Ninguém mais chegou do mesmo jeito que você, colando a testa na minha e me chamando de “conexão de alma". Até cheguei a cogitar ser amor da última vez que entrelacei os dedos, mas meu Deus como eu me confundi!


Você me ajudava a crescer, lembra? Escrevo “lembra” como se você fosse mesmo ler isso, mas enfim. Você acreditava tanto em mim! Me abraçava em minhas crises de ansiedade, me incentivava escrever como se precisasse porque, viver ao teu lado já foi o suficiente para escrever textos que viraram livros.


Te vejo através de uma tela, a família aumentou. Te vejo conquistar coisas que, se me lembro bem, te preenchem. Te vejo amando um outro alguém e sendo amada como merece. E eu espero de toda a minha alma, que principalmente atrás da tela, você esteja inteiramente alegre e em paz, porque é isso que você merece.


Avm.

Com amor,

Kauany Bonnett.