• Kau Bonnett

Histórias se repetirão



   Era um ano diferente de qualquer ano vivido, eu estava mais madura e mais cansada, parecia com os frutos nas árvores, que de tão maduros e cansados - sem a colheita - acabam-se no chão. 

Como eu ia dizendo, era um ano diferente e eu avançava sem medo, mas todos os anos algo novo acontece, algo antigo retorna, ou algo que sempre esteve ali, diz querer continuar. 


Eu a encontrei entre meio a vida cheia, ela escondia-se mal e estava vestindo algumas palavras gentis. Aproximei-me para percebe-la. Era um pouco mais da metade de um ano esquisito e era ela novamente ali, segurando na mão direita a minha alma e na esquerda uma mala com todos os meus parágrafos, vírgulas, pontos e textos completos. O meu coração aqueceu e ela me olhou com aquela cara de nascer do sol quando vem acompanhado das desenhadas nuvens, colorindo o céu e fazendo às vezes, incendiar.  

Ela chegou com toda aquela delicadeza, soltou a mala no meu lado esquerdo, ficou de frente pra mim, olhou-me nos olhos e sugeriu-me buscar a minha alma. Sua voz ficou mansa e ela estacionou os braços nos meus ombros, senti o peso do mundo, mas fiquei confusa, afinal, se ela estava com a minha alma em sua mão direita, aquele peso seria o meu? 


Eu, cheia de mim e madura em um todo, tomei fôlego novamente e iniciei um retrocesso, sendo novamente planta eu despi-me e aceitei o caos, aceitei todas as estações. Mais uma vez na busca da minha alma, porque com ela eu poderei florescer. 


Histórias se repetirão até você aprender a lição.


Com gratidão,

Kau Bonnett. 


"Vá fundo dentro de si mesmo, pois há uma fonte de benevolência preparada para fluir se você continuar."

- Marco Aurélio