Apenas você pode fazer


A gente nunca esquece o que foi e o que teve vontade de ser, mas a gente sempre esquece quem a gente é. 

Ficamos nos encaixando nessas caixas de arquétipos prontos e pensando que eles serão os modelos certos que nos levarão até os nossos desejos. Erramos. Pegamos o nosso erro e nos vitimamos. Empacamos. Paramos em um lugar de conforto, onde gostamos de ser vítimas porque as pessoas tem pena de nós. Gostamos desse conforto. Nesse conforto o sol se despede e diz bom dia, e enquanto reclamamos do calor, alguém curte o mar gelado do exterior. Nesse gelo que tomamos ao presenciar a cena, pensamos: “Ah, que sorte a dele!”, erramos. Depois do erro, repete tudo. Você assiste a vida passar enquanto reclama do mundo, sentado no seu sofá, em frente a TV, no twitter, no Instagram, em qualquer rede desconectável, mas que você não se desconecta para não matar o seu ego. E eu te entendo, o mundo tá osso, melhor reclamar do que fazer um pouco.


Apenas você pode fazer por você mesmo.


Com Gratidão,

Kau Bonnett.