A gente cuida como pode do amor que ainda sente


Respiro em quatro tempos. Quero que o tempo passe rápido, tão rápido quanto naqueles dias em que eu sabia que na semana seguinte iríamos nos ver.

Respiro em sete, volto o pensamento para o agora e emano amor ao mundo, precisamos. Sinto o cheiro de grama cortada, ouço a sua gargalhada e você não está aqui. Na melodia de um tambor meu coração ainda pulsa e eu te encontro. Você puxa os lábios e sussurra, assovia e cantarola, a tua alegria me aquece.

Respiro em dez, esqueço de soltar, o coração canta lento, bem lento e você solta a minha mão… nuvens de algodão eu vejo ao abrir os olhos.

A gente cura com o tempo o amor que ainda sente.


Com gratidão,

Kau Bonnett.

"Vá fundo dentro de si mesmo, pois há uma fonte de benevolência preparada para fluir se você continuar."

- Marco Aurélio

Amastê - 33.650.333/0001-15 - Florianópolis.