Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

QUEM É KAU BONNETT?

  • janeiro 18, 2019
  • by

         Eu sou Kau Bonnett, tenho vinte e dois anos. 
Hoje eu decidi escrever esse texto para falar dos meus últimos cinco anos vividos. Cinco anos é o tempo perfeito, porque foi justamente aos dezessete anos que a minha vida mudou. Foi quando ocorreu o meu primeiro contato com a cidade grande e automaticamente, a primeira expansão mental. Nos dezessete anos eu tive contato com o primeiro livro que iria me fazer gostar realmente de ler, o autor era Napoleon Hill, e naquele momento eu soube que eu gostava de Autoajuda. Foi onde eu iniciei inconscientemente o caminho do autoconhecimento. Por mais que eventos dos meus anos passados já tivessem me dado pequenos sinais, nos dezessete foi onde eu abri os meus olhos. 

Aos dezoito eu aprendi a ambição e o desejo do material. Conheci seres incríveis. Me conectei com pessoas que elevaram não só a minha mente, mas também o meu espírito, me ensinaram indiretamente o poder da fé e do amor. 
Eu tive uma marca de camisetas junto com meu irmão de vida, nós éramos sensacionais, mas como eu disse, eu estava no meu primeiro contato com a ambição e sem saber, também estava no meu primeiro contato com o meu propósito, que desde sempre foi: servir a humanidade. Perdi-me, com isso a marca parou de vender e eu parei de sonhar para ela. 

Com dezenove anos trilhei alguns caminhos diferentes do que eu estava acostumada. A edição de vídeo me acompanha desde os quinze anos, então eu decidi coloca-la em pratica e trabalhar em uma produtora de vídeo.

Aos vinte trabalhei em uma Hamburgueria que tinha iniciado no caminho do empreendedorismo social e foi incrível a minha jornada de 6 meses ali, eu juro! 
Em paralelo a tudo isso, eu continuava escrevendo desde os meus quatorze anos. E entre um trabalho e outro, eu fazia trabalho voluntário no Projeto Resgate. 

Aos vinte e um a minha vida virou totalmente. As crises de pânico voltaram (eu tive desde os meus onze anos) e pareceu que aquela coisa de setênios era real. Tinha um vazio na minha mente que eu precisava urgentemente preencher. Voltei para a cidade gigante (São Paulo) e busquei abrigo no trabalho voluntário, em um centro budista. Sai de lá com a mente mais calma, com a respiração em dia e com um trabalho a fazer. 
Mais uma vez entrei em um trabalho que não sabia fazer, mas aprendi… Marketing e comunicação. Em paralelo a isso, a escrita continuava e os trabalhos voluntários também. 
O meu propósito seguia gritante em mim, tão gritante que eu lancei um livro, dentro de um escritório, trabalhando oito horas por dia, cinco dias na semana, eu alinhei todas os meus escritos e surgiu o livro “Com Gratidão”Por que esse nome? Conscientemente o trouxe de 2015, dos meus dezenove anos, quando na volta pra casa do meu primeiro dia de trabalho voluntário eu tive o sentimento de: Se eu morresse agora, eu morreria muito feliz e muito grata. Esse foi o meu primeiro contato consciente com a gratidão, consciente eu digo porque dentro de casa a minha mãe sempre nos instruiu a agradecer muito mais do que pedir, e finalmente ali eu tinha entendido parte do que eu sempre fiz no automático. Ali o meu propósito estava no caminho. Com gratidão eu escrevi um livro, nada mais justo do que esse ser o nome. 

Aos vinte e dois anos eu sai do escritório e voltei a edição de vídeo. E eu me perdi em mim, novamente eu me perdi no propósito, no que fazer, no que ser e principalmente no que querer. Então eu decidi correr, eu fazia isso desde os dezesseis anos, mas era sempre com idas e vindas, sem prestar atenção. Eu decidi correr de verdade e com isso conclui em agosto a minha primeira meia (21km) e em novembro a segunda. Com isso eu percebi o tamanho da minha força e do que eu consigo.
Eu continuei cantando e tocando violão, coisas que fiz desde os nove anos, por prazer, por mim mesma. Eu continuei escrevendo, eu nunca parei. Continuei lendo. Eu apenas continuei a ser quem eu sou e a buscar o ser que quero me tornar. 
O meu maior orgulho será quando eu puder devolver para a minha família, tudo o que eles me deram, principalmente de forma emocional. E a minha maior gratidão, será sempre, dia após dia, conseguir impactar positivamente a vida de pelo menos uma pessoa. 

      Esses cinco anos fizeram-me perceber o quão a vida nos surpreende. E eu acredito que será essa busca constante até o final de tudo, até eu fechar os meus olhos para sempre. Eu vou seguir o meu coração e aceitar os novos dias. Irei me perder e me encontrar de tempos em tempos, apenas para perceber que estou viva. 


Com Gratidão,
Kau Bonnett.

Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

11 comentários:

  1. Gratidão kau, pelos seus textos que são incríveis.
    A vida é feita de altos e baixos, como os batimentos cardíacos, pois quando para é porque morremos.

    ResponderExcluir
  2. Incrível seu dom maravilhoso de escrever e encantar. Sua jornada é linda Kau, e sim você ajuda muitas pessoas nesse processo evolutivo, Eu fui uma delas. Muito obrigada, gratidão por ser e existir.

    ResponderExcluir
  3. OBRIGADA POR ME ENSINAR CADA DIA MAIS, GRATIDÃO E MUITO SUCESSO NESSA SUA JORNADA LINDA. VOCÊ É INCRÍVEL!

    ResponderExcluir
  4. Que ser incrível... Obrigada universo por me apresentar essa mulher!!!

    ResponderExcluir
  5. Gratidão por ter te encontrado, um pouco sem querer, no Instagram. Continue com sua busca, continue você e continue compartilhando suas vivências, que pode ter certeza, fazem uma enorme diferença na vida de muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  6. Como pensar em um mundo de gratidão, sem ao menos nem tentamos estender a mão,
    conhecer sobre tal, sentir que não será banal,
    tenho que reconhecer, sua voz faz transparecer, o que no fundo chega a tocar e, começa a empatia sem planejar,
    posso sentir a gratidão no seu sorriso em vídeo, quando começa a dialogar ,
    posso sentir a gratidão quando sei que de alguma maneira iremos te encontrar,
    pra dizer que sim, a sua gratidão move sentimentos,
    tira a solidão, mostra o bem e tira as pessoas da escuridão.

    Obrigada <3

    ResponderExcluir
  7. Tu ensina que tudo é instante, um instante, que em segundos a vida lhe toma coragem, substitui a fé, e faz de nós um espaço, um longo espaço sem ruídos. Que o tempo é luz, na intensidade e velocidade. Que a incerteza consome nossos minutos e nos cega, apaga e nos faz delirar, que a certeza cai mais um vez diante de nossos olhos e que viver é para quem domina o equilibrio, para quem se conhece para quem se soma.
    Pois, eu digo que em um instante que ouvimos sua voz é a coragem que surge de sermos melhor, a fé de ver sua calma saber que não teremos ruídos ruins, apenas o som da sua voz. Que nosso tempo é estar ali vendo a luz dos seus solhos, com intensidade porém, que não acabe tão rápido. Que seu dom nos faz delirar, que a única certeza é que o seu equilibrio não nos deixa cair, nos faz levantar, acreditar e agradecer. Mais uma vez, Obrigada <3

    ResponderExcluir
  8. Incrível, muito lindo, eu simplesmente amei. 😍❤

    ResponderExcluir