Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

QUANDO EU PARAR DE ESCREVER

  • novembro 02, 2018
  • by


     Muitas coisas mudam, acontecem, acrescentam, crescem e evoluem.  Ao lado da felicidade a solidão faz festa, machuca a alma e faz a partida acontecer. Parte de canto, partindo cada parte do corpo até compreender a alma, fazer as pazes com a vida e ser solitude. E dói, é claro que dói. A escuridão se faz tão presente, que só sinto o espaço a minha frente e só, eu me esforço, eu aguento, eu tento. Mas é claro que dói. A raiz é escura e profunda, castiga as mãos fazendo calo e dói o corpo. Nesse momento eu nem sempre tenho o que dizer e quase nunca eu tenho que dizer algo, mas meu semblante sempre fala por mim.Por fim dói e por começo, ainda bem que dói... Sinal que ainda sinto.

Eu enfim terei chegado ao final da minha vida. 

Com gratidão,
Kau Bonnett. 




Photo by rawpixel on Unsplash

Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

2 comentários: