Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

O MELHOR JEITO DE VIVER A VIDA

  • fevereiro 09, 2018
  • by



Aos olhos da sociedade: Ele gordo e ela magra.
Aos olhos dele: Com uma mão ele encaixa a cintura dela ao seu corpo, e assim dançam juntos. 

Aos olhos dela: O maior, mais quente e mais confortável abraço casa.

Aos olhos da sociedade: Ele branco e ela negra.
Aos olhos dela: O contraste mais vívido que já sentiu, e a mistura mais gostosa de dois. 

Aos olhos dele: A oportunidade de todos os dias presenciar a luz mais bonita que é faze-la sorrir. 

Aos olhos da sociedade: Ela inteligente e ele burro.
Aos olhos dele: Ela toda atrapalhada, dizendo besteiras e sendo ela mesma.

Aos olhos dela: A felicidade por conseguir ajudá-lo nas partes burocráticas da vida, por estudar o seu semblante e compreender aquela ansiedade.

Aos olhos da sociedade: Ele "nerd" e ela “patricinha”.
Aos olhos dele: As gargalhadas intermináveis por ela ter medo de qualquer inseto. 

Aos olhos dela: A parceria para fazer o que nunca havia feito antes, jogar videogame, comer besteiras e aprender sobre computadores.

Aos olhos da sociedade: Dois gays.
Aos olhos de um: Ser o quão emotivo quiser ser, sem ser julgado, mas sim confortado e amado. 
Aos olhos do outro: Sair de mãos dadas, ir para as festas, aproveitar juntos e cuidar de seu amor. 

Aos olhos da sociedade: Ele rico e ela aproveitadora.
Aos olhos dele: Uma parceria para viajar ao seu lado. Uma mulher para ele tratar como trataria sua própria mãe. 

Aos olhos dela: Um homem que o pai dela não foi e uma oportunidade para ser a mãe amorosa que ela teve.

Aos olhos da sociedade: Ele velho demais e ela nova demais.

Aos olhos dele: Uma alma cheia de sonhos, de aprendizados, de conquistas e uma mulher madura.
Aos olhos dela: A sua segurança. A certeza de que pode confiar nas experiências já vividas por ele e que pode aprender ainda mais. 


Aos olhos da sociedade: Um casal de lésbicas. 
Aos olhos de uma: O amor que jamais havia recebido antes. 
Aos olhos da outra: A troca de sensibilidade, de verdades, a troca única que é poder cuidar e ser cuidada. 



  Aos olhos da sociedade seremos sempre o que as novelas dizem, o que as más bocas falam, o que as pessoas imaginam de nós. 
O que importa mesmo é olharmos para nós, da maneira que NÓS mesmos queremos nos ver. E então olhar para o mundo com outros olhos. 
Que não percamos tempo julgando e que vivamos sempre a intensidade de cada momento. 



É vive-la do seu próprio jeito.


Com gratidão,

Kau Bonnett. 






Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

3 comentários:

  1. Que lindo Kau...Leio " ouvindo" sua voz!!! Gratidão!!🙏

    ResponderExcluir
  2. Lendo de novo agr... com um pouco mais de calma, emtendo que vc é uma pessoa incrível e uma figura interessante não sei se entendi td certo, talvez vc estava se declarando como gay ou apenas um exemplo, é só não sei como poderiamos combinar algo pra sei la C v

    ResponderExcluir