Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

FONTE DE AMOR INESGOTÁVEL

  • agosto 13, 2017
  • by

   Era 2002, eu tinha uns 6 anos, te esperava chegar do trabalho ao meio dia, antes de ir pra aula. Você havia me deixado dormindo para ir trabalhar. Naquele tempo se as autoridades soubessem, você poderia me perder de vista. Mas não tinha outra escolha, tinha que se virar, tinha que usar a única hora de almoço para correr até em casa, só pra ver se eu estava bem, para me alimentar e me arrumar para a escola. Lembro bem de você cozinhando a noite, após um dia cansativo de trabalho, fazendo massa para vender e para alimentar a família. Lembro da bíblia ao lado da tua cama, do terço na cabeceira e da sua fé inabalável.
   Lembro do teu abraço me cobrindo nos dias de tempestade, chovia mais dentro de casa do que fora. Impossível esquecer dos teus olhos cansados me contando uma história.A sua paciência comigo era incrível. 
Tua vida toda bagunçada, mas eu lembro mãe, lembro de todo o teu esforço. E quando mudamos para uma casa nova, você consertava o chuveiro, a tomada, a porta, qualquer coisa. 
Você sempre arrumava tempo para me dar amor e se deixar em mim. Mãe eu lembro tanto das tuas angústias, das vezes que eu tão pequena, sem entender lhe dava meu melhor sorriso e dizia que tudo iria passar. Sempre passava, pois havia amor. Ainda passa, pois sempre haverá amor. 
Poderia ficar listando as infinitas lembranças que tenho de todas as vezes que você foi mãe e pai. 
   Você deixou inúmeras vontades suas de lado, apenas para me satisfazer. 
No dia dos pais, você me levou ate a loja, sabia -mesmo separada do pai- que ele precisava de sapatos sociais novos. Lembro da tua felicidade ao me ver feliz por entregar o presente para ele.
Um instante realmente instante. Eram rápidas as visitas dele, mas quase sempre me trazia presentes e coisas. Vocês sempre tentaram novamente, por mim, porque eu queria vê-los juntos, mas não deu. Eu entendo mãe.
E hoje, eu sou inteiramente grata a você. Suas batalhas, seus erros, suas dores, seu suor para criar 4 filhos e ainda ter gás para mim (a última), isso é ato de uma guerreira, uma verdadeira GUERREIRA. 
    Pai, tu é responsável por grandes histórias em minha jornada e eu sou grata a ti, imensamente. 
E Mãe, tu soube muito bem fazer papel de pai e mãe. Grata por nunca desistir de nós e da sua vida. Grata por sempre pensar em qual seria o melhor para mim e para os meus irmãos. 
Lhe devo a vida e prometo dar todo o amor e ensinamento que tu me deu, a um filho meu!

Fonte de mãe que é pai. 

Com Gratidão,
Kau Bonnett. 

Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

1 comentários:

  1. Que foooda!!! Estou emocionada! Muito sincero e intenso! Parabéns pelo amor com as palavras.

    ResponderExcluir