Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

QUE ASSIM SEJA

  • abril 13, 2017
  • by




  Janeiro havia começado apenas com algumas linhas confusas, com novas promessas e pedidos incertos. Eram planos para algo novo, para um novo ano que iniciava. 365 dias deixados para trás e 365 dias em minha frente. Era tempo de deixar a zona de conforto e tornar aquelas letras do papel, algo real. O ponteiro do relógio anunciava 00:01, o calendário mostrava o primeiro dia de janeiro. Dali em diante eu só lembro do tempo voando. Passando tão depressa, que a ansiedade mal podia acompanhar, e por conta disso, algumas coisas foram dando certo e outras foram dando muito errado. Mas depois de tanto buscar, tentar, recomeçar, refazer, reestruturar, reconhecer e tentar mais uma vez, eu finalmente entendi que a vida nos prepara. 
  Mês de Agosto. Para alguns tarde demais, para mim, o tempo certo. A ansiedade alcançou o voo rápido dos dias, e deu a mão. Tudo desabou e a vida pesou de um jeito que eu achei que não conseguiria mais reergue-la. Eu precisava viver e queria sair da onde estava, queria desfazer o laço entre a ansiedade e os meus dias, pois quando estão juntos é impossível viver. E então a surpresa. Pisei fora de casa, sorrisos novos, abraços, uma vida la fora, e a vida que aqui dentro estava toda confusa, decide se ajustar quando eu menos esperava. Mais um aprendizado. Quando você entende o que é prazer, felicidade e plenitude, se torna mais fácil viver em alegria. 
  Mesmo estando bem e alegre, a ansiedade ainda estava de mãos dadas com os meus dias, eu não sabia como mudar, então eu decidi dar a mão a eles. Voamos juntos até Dezembro. Não entendíamos muito bem sobre a direção do vento, nem sobre as tempestades, apenas íamos muito rápido e mudando sempre o caminho. Parece que a vida me deixou oito meses de molho para só então, em quatro meses, me fazer crescer uns 5 anos. E isso foi incrível.
  Eu me encanto cada dia mais por essa vida. É extremamente sensacional a forma como TUDO é aprendizado, O TEMPO TODO. Esse foi o ano que eu mais cresci como ser humano. O ano que eu mais vivi e arrisco dizer que foi o primeiro, de muitos anos de plenitude que ainda estão por vir. Agora não escrevo mais linhas confusas, nem promessas e muito menos pedidos incertos. Graças aos erros e fracassos aprendi que a Gratidão é quem nos devolve a vida, por isso hoje, faço uma lista de gratidão, uma lista de metas, lugares e objetivos. 
  Se tem uma coisa que eu aprendi direitinho é que, não importa quanto tempo leva e nem o quanto você tem no bolso, se tiveres fé e um bom coração, basta agir, e então tudo é possível. 
E que tudo o que vier, venha para nos somar. 

Com Gratidão,
Kau Bonnett.

sobre 2015.

Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

3 comentários:

  1. Para ser sincera, passei um tempinho parada, apenas observando as letras, cada palavra desse texto, é o seu primeiro texto que leio, e agora eu pretendo ler todos os outros , bom não sei se você vai chegar a ler Isso, mas não custa escrever isso para alguma pessoa curiosa que queira ver oque uma anônima escreveu.. sempre que eu lia a palavra " ansiedade" eu pude sentir ela dentro de mim, trabalho com ela todos os 365 dias , ando de mãos dadas com ela .. ainda me sinto confusa em muitas coisas, mas agora ... que li esse texto, vou ler novamente quando você acabar de ler isso. Eu realmente me senti menos ansiosa ao ler tuas palavras eu me senti leve.. com uma certa tranqüilidade rs, e agora só me resta a gratidão a você, por escrever isso que é tão bonito e passar adiante, vou ler esse em especial e todos os outros , always.
    Beijos de uma anônima

    ResponderExcluir
  2. Esse texto me fez vê que também evolui muito em uma fase dá minha vida, posso dizer que em apenas 3 meses me tornei um alguém diferente, mas um diferenteque eu gosto, e é isso que tem me feito desejar cada vez mais evoluir, me faz querer transbordar apenas, transbordar tudo aquilo que me faz bem, isso aconteceu de um período de 2016 pra cá, claro que foi depois de conhecer uma pessoa, que aliás já não está na minha vida como antigamente, mas que me ajudou de tal maneira que eu só consigo sentir gratidão, apesar de termos nos separado por conta do passar do tempo mesmo. Mas eu gosto do novo eu e vejo o quão bem nos faz sermos pessoas novas, pessoas que só fazem bem a si mesmo, e então me sinto bem pra fazer bem a quem estiver disposto a ficar ao meu lado(falo não só no lado do amor), mas quem estiver disposto a evoluir comigo durante o passar do tempo.
    De uma anônima que ama os teus textos sz

    ResponderExcluir