Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

ENQUANTO AS MARCAS DO TEMPO MARCAM O SEU CORPO

  • setembro 18, 2016
  • by

Oi mãe. 
Hoje é domingo aqui e aí. 
Hoje o teu riso invadiu a minha sala vazia. Eu levantei da cama sentindo o cheiro da sua comida e ouvindo a TV sintonizada no Globo Esporte. Visualizei a bagunça dos nossos domingos. Os seus netos correndo pela casa, os meus irmãos compartilhando os aprendizados da vida.
Hoje mãe, os nossos dias passados, invadiram o meu apartamento vazio e eu desabei. 
Sei que você não está em outro plano para eu estar escrevendo assim, mas a distância física pesou no meu peito e de todas as saudades que eu sinto, a de você é a maior. 
Se você visse esse texto, sei que desabaria em prantos, como eu agora, mas saibas minha mãe, que esse não é o intuito. 
O intuito desse texto no começo era para te contar o tanto que estou aprendendo com esses dias vazios, o quanto que ultimamente venho aprendendo sobre mim, sobre as pessoas, sobre as energias. Mas se tem uma coisa que você me ensinou muito bem, foi COMPARTILHAR e esse é o intuito do texto. Para todas as pessoas que estão lendo esse texto, que tem a família próxima, seja essa família composta por avós, tios, irmãos, pai e mãe, ou pessoas que vocês consideram família, esse texto é para vocês. 
Vocês não precisam ir para longe, para desejar (com lágrimas) estar perto. Enquanto estiverem perto, demonstrem amor, ouçam as histórias - mesmo que repetidas -, vejam os olhos calejados, os olhos que te ajudaram crescer e ser quem você é. Vejam as marcas das mãos que te carregaram por longas estradas. Sintam o amor mais puro que irão sentir em toda a sua vida. VIVAM o presente momento ao lado de quem ama inteiramente o ser que você é. 

Mãe, desculpa usar a minha saudade de você para tentar mostrar um caminho aos outros, mas você me ensinou  compartilhar. 
Sei que hoje não é uma dada comemorativa e justamente por saber disso escolhi te lembrar que hoje, amanhã, depois, sempre será o teu dia. 
Eu te agradeço por todo o amor que sou, por tudo o que depositou em mim. Eu te cuido, de longe. E um dia, eu ainda te darei tudo o que prometi. Espero estar fazendo tudo certo. 
Te lembro todos os dias e te amo, com todo o mais sincero amor que há em mim. 
Até logo. 


O teu ser, de longe, marca a minha alma. 


Com Gratidão,
Kau Bonnett. 




Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

2 comentários:

  1. Oi Kau, meu nome é Pamela, acabei de ler o texto e me identifiquei (emocionei) muito, pois me fez lembra da minha mãe, não à vejo pessoalmente há 8 anos, graças à internet conseguimos nos ver e essa distancia não é nada fácil. Mas isso me fez lembrar dos bom momentos que passamos juntas.
    Obrigada pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por essas palavras,como me emocionei com cada uma delas,minha mae morreu a 4 meses,e a saudade dela esta grande,essas palavras me ajugaram muito,obrigada por isso,sou grata pelas palavras

    ResponderExcluir