Kau Bonnett,

Com Gratidão

e com a alma.

DAS ARRITMIAS CONSTANTES

  • setembro 01, 2016
  • by



Caminhava pra longe de casa só pra não ter que encarar as paredes, eram brancas demais e não faziam doer os olhos, faziam doer a alma.
Cada milha pra longe, uma cena somava na memória. Malditas lembranças falhas, que ao fazerem sorrir, ainda faziam chorar. Escrevia no intuito de esvaziar o vazio. Tão doente pelo amor, se deixou levar pela intensidade. Ardia a vontade de fazer alguém sorrir, ardia a vontade de sempre estar presente. 
Hora de voltar. 
Cada passo de volta para as paredes brancas, o peito apertava e as palavras começavam a falhar. Sentir, sentia muito, mas a fala, a palavra, a alma, escolheu silenciar.
Então para que a pressa? Para que voltar para as paredes brancas? Se não há presença ali e nem alguém a te esperar.

O coração sempre superou todas. 

Com Gratidão,
Kau Bonnett.

Kauany Bonnett (1996). Nasceu em Santa Catarina e atualmente reside em São Paulo. Começou escrever com 14 anos de idade. É aficionada pelo comportamento humano e pelos ensinamentos da vida. Por isso, transforma os momentos vividos em palavras.

2 comentários:

  1. maravilhoso ♥
    incrível como sempre me identifico com os seus textos.

    ResponderExcluir
  2. cada palavra se faz pesar, uma reflexão própria dentro da própria memória

    ResponderExcluir